Quadrado ‘mágico’ dá toque ofensivo à seleção da 9ª rodada do Brasileiro

Caio, Bruno César, Roberto e Alan. Em comum, o fato de serem revelações e de terem decidido a favor de seus times neste fim de semana

Um quadrado “mágico” e decisivo é o destaque da seleção da 9ª rodada do Troféu Armando Nogueira. Neste fim de semana, Avaí, Fluminense e Corinthians conseguiram vitórias importantes graças aos nomes que compõem o setor ofensivo do time ideal desta rodada, após a apuração das notas dos dez jogos dadas pelos especialistas de SporTV e GLOBOESPORTE.COM. Pelos catarinenses, Caio e Roberto. Pelo Flu, a revelação Alan. E pelo Timão, o meia Bruno César, figura constante entre os melhores da rodada.

Em Florianópolis, as atenções estavam voltadas para a estreia de Luiz Felipe Scolari no Palmeiras. No entanto, o técnico campeão do mundo em 2002 não contava com uma atuação tão inspirada da dupla do Avaí. Na Ressacada, o meia Caio brilhou, fez dois gols e iniciou a jogada de outro. Primeiro, acertou belo chute de pé esquerdo no ângulo de Deola. Depois, deu passe açucarado que originou o gol de Robinho. E, por fim, marcou seu segundo gol no rebote de um pênalti batido por ele próprio. A atuação rendeu nota 8, sua maior na competição. Contra o Grêmio Prudente, na estreia, ele recebeu a mesma avaliação.

Roberto não deixou por menos. Fez um golaço na vitória por 4 a 2 sobre o Verdão e participou dos principais lances da equipe. No fim, recebeu nota 7,5. Melhor para o Avaí, que encostou nos primeiros colocados e começa a sonhar com o grupo dos quatro melhores, que ganham vaga na Taça Libertadores do próximo ano.

Destaque da seleção é o quarteto ofensivo de boas revelações (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com)

campinho seleção da 9ª rodada do brasileirão

Longe dali, no Pacaembu, o meia Bruno César era decisivo mais uma vez para o Corinthians. Com gol dele, o Timão venceu o Atlético-MG por 1 a 0 e agora é líder isolado do Brasileirão, com 21 pontos. Em seis jogos no Brasileirão, Bruno nunca ganhou nota abaixo de 5, média do troféu. A regularidade faz com que ele seja o líder no ranking do campeonato, com média 6,83. Ele “explicou” o gol contra o Galo, de fora da área.

– Sempre procuro finalizar, e os companheiros ficam até bravos em algum momento. Mas sempre que tem uma brecha, eu chuto – afirmou Bruno César.

Na Baixada Santista, um atacante de 21 anos colocava o Fluminense na vice-liderança do Brasileiro. Alan já é um talismã do técnico Muricy Ramalho há algum tempo. E contra o Santos, ele não decepcionou. Substituiu Rodriguinho no segundo tempo e, ao receber um lançamento, arrancou até a área do Peixe e chutou na saída de Rafael. 1 a 0 Flu, 19 pontos na tabela e nota 8 para Alan, nome do jogo.

Mesmo com a derrota na Vila Belmiro, os santistas conseguiram emplacar dois nomes no time ideal: o zagueiro Edu Dracena e o volante Wesley. Apesar do revés, os comandados de Dorival Júnior fizeram uma boa partida e poderiam ter vencido, pois tiveram tantas oportunidades quanto o Fluminense. Pelos cariocas, o volante Diguinho também foi eleito para o timaço, com nota 8.

Mais caras novas entre os melhores

Na rodada passada, o time do Armandão teve sete nomes que ainda não haviam integrado o grupo dos destaques. Agora, mais boas surpresas apareceram. Destaque para as laterais. Na direita, o rodado Paulo César, do Grêmio Prudente, volta a exibir o futebol que o tornou conhecido no Fluminense e no Santos. Contra o Grêmio, ele resolveu arriscar uma bomba em cobrança de falta e acabou premiado com um belo gol e a nota 7.

Paulo Cesar grêmio prudente gol grêmioPaulo César comemora gol do Prudente

Pela esquerda, Egídio pede passagem. O camisa 6 do Vitória teve ótima atuação no triunfo por 3 a 2 sobre o São Paulo. Dos pés dele saíram os cruzamentos perfeitos para os gols de Elkeson e Schwenck. Aproveitando bem o corredor deixado pelo time paulista, Egídio fez a festa no ataque.

Outra cara nova é o zagueiro Anderson Luís, do Prudente. Ele conseguiu segurar o perigoso ataque gremista na vitória por 2 a 0 dos paulistas e fez por merecer sua vaga. Do lado gaúcho, o goleiro Victor foi responsável por grandes defesas e só deixou passar o que era indefensável. Por isso, ganhou nota 8,5 mesmo com a derrota.

No banco de reservas, o experiente Antônio Lopes. Ele não deu bola para a estreia de seu companheiro de Seleção Brasileira em 2002, Felipão, e armou o time do Avaí para surpreender o Verdão nos contragolpes. Com ele no comando, os catarinenses já somam seis pontos em duas rodadas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: