Contra o Furacão, Fluminense encara desafio inédito em 2011

Sem Fred e He-Man pela primeira vez nesta temporada, Tricolor tenta se manter ofensivo contra o Atlético-PR

Ao longo do ano, desde a chegada do atacante Rafael Moura, a questão sobre jogar com dois atacantes fixos tomou conta dos debates entre tricolores. Nesta quinta-feira, contra o Atlético Paranaense, às 21h, no Engenhão, o Fluminense enfrenta pela primeira vez em 2011 o desafio de marcar gols sem a presença de nenhum dos seus principais artilheiros no ano. Fred está com a Seleção Brasileira na Copa América e He-Man cumpre suspensão pela expulsão na vitória sobre o Avaí.

Em todos os 31 jogos na temporada, o Tricolor contou com pelo menos um dos dois atacantes no time titular. Dos 52 gols marcados pela equipe, Fred e Rafael Moura foram responsáveis por 24 – cada um marcou 12. Os demais jogadores, juntos, marcaram 28 vezes. Sem as duas principais referências, o Fluminense encara o desafio de se manter ofensivo. Para o técnico Abel Braga, algo nada preocupante.

– Não muda muito. Ter um homem de área é sempre importante, porque é o cara do bloqueio, da parede. Quando o jogo está apertado, joga em cima dele para fazer a proteção, e chamar a aproximação dos jogadores de meio. Mas temos muitos meias com velocidade. Perdemos a referência, mas ganhamos em velocidade – explicou o treinador.

CANSAÇO NÃO DEVE ATRAPALHAR CIRO

A maratona para regularizar a situação de Ciro não deverá tirá-lo da equipe que iniciará a partida contra o Atlético-PR. O atacante esteve no Uruguai no início da semana para assinar contrato com o Deportivo Maldonado, clube que pertence ao grupo de investidores que adquiriu seus direitos e repassou para o Flu.

O cansaço da viagem preocupa Abel. No treino tático realizado ontem, o atacante jogou apenas 20 minutos. Mas sem Fred e Rafael Moura, ele deverá ser titular.

– Vamos analisar bem. Ele participou de 20 minutos e ficou muito cansado pela viagem. Veremos no dia do jogo se é melhor começar com ele ou Matheus Carvalho. Ciro vai para o jogo, mas ainda não está nas melhores condições – despistou Abel.

HOMEM-GOL DESDE 2009

Jogar semum homemde área é algo que não acontecia com o Fluminense desde 7 de outubro de 2009, quando empatou com o Corinthians em 1 a 1 no Maracanã, pelo Brasileiro. Na ocasião, o ataque foi formado por Alan e Adeílson, conhecidos mais pela movimentação do que pela presença na área.

Desde então, sempre contou com um homem-gol. Para piorar, naquele campeonato – marcado pela fuga do rebaixamento – no período em que atuou sem um centroavante, o Fluminense teve um aproveitamento de apenas 26,6% dos pontos nos 15 jogos entre a 13a – e 28a – rodadas. Neste mesmo período, conquistou apenas duas vitórias, complicando-se na competição

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: