Flu bate o Cruzeiro, tem terceira vitória seguida e sobe para sexto

Montillo marca seu 12º gol no Brasileiro, mas Tricolor carioca domina as ações em Uberlândia e se aproxima do G-5

Venceu o time que mostrou o melhor futebol. O Fluminense não se importou de jogar diante da torcida adversária e se aproveitou de um momento técnico muito ruim de quase todo o time do Cruzeiro. Fez 2 a 1 e subiu mais um degrau na tabela de classificação, aproximando-se da zona de classificação para a Libertadores. Fred, que mais uma vez não comemorou diante de sua ex-equipe, e Marquinho abriram 2 a 0 no Parque do Sabiá. Montillo, sempre ele, fez um bonito gol para os donos da casa, que não tiveram força para buscar o empate. Foi o 12º gol do argentino, atrás apenas de Borges (que tem 15) na artilharia da competição.

O Fluminense, que há três rodadas ocupava o 11º lugar, está em sexto, com 34 pontos. Tem dois a menos do que o Flamengo, que enfrenta o Corinthians nesta quinta-feira e fecha a zona de classificação para a Libertadores. Já o Cruzeiro, que há três rodadas estava na sétima posição, agora ocupa o 12º lugar, com 28 pontos.

Na próxima rodada, os mineiros enfrentam o Santos na Vila Belmiro, às 18h de sábado. Já os cariocas recebem o Corinthians no Engenhão, no dia seguinte, às 16h.

Só o Fluminense em campo

Cruzeiro e Fluminense começaram cautelosos no jogo, que ficou lento e desinteressante nos minutos iniciais devido à falta de iniciativa de ambos. O Tricolor, no entanto, era melhor e marcava mais presença no ataque, principalmente porque a equipe celeste dependia extremamente do argentino Montillo. Bem marcado, o gringo pouco produziu.

O domínio do Fluminense, entretanto, não se traduziu em jogadas agudas e, muito menos, em oportunidades claras de gol, o que permitiu ao Cruzeiro equilibrar as ações durante alguns minutos. Porém, com muitos erros de passes, os atacantes cruzeirenses eram presas fáceis para o sistema defensivo do Flu.

O Tricolor, então, foi premiado, justamente por apresentar maior iniciativa no jogo. Aos 34 minutos, Fred cobrou pênalti que ele mesmo sofrera – em falta de Léo – e abriu o placar no Parque do Sabiá. Até então, o time ainda não havia cometido uma falta sequer – o Cruzeiro tinha apenas cinco.

Na Raposa, a dependência de Montillo continuava. Com dois atacantes de área e pouca mobilidade, a concentração das jogadas pelo meio levava pouco perigo ao gol de Diego Cavalieri, espectador privilegiado do primeiro tempo, vencido com justiça pelo Tricolor.

Mudança de atitude

O Cruzeiro voltou mudado, com Roger e Élber nos lugares de Gabriel Araújo e Anselmo Ramon. Porém, mais importante que a alteração nos nomes foi a mudança de atitude. O time mineiro apresentou outra postura, mesmo que ainda faltasse qualidade no toque de bola e nas finalizações.

O Fluminense recuou perigosamente, e o Cruzeiro cresceu e criou boas chances, com Keirrison e Roger. Mas, no primeiro ataque que realizou, aos 17 minutos, o Tricolor ampliou o placar, com Marquinho, aproveitando boa jogada de Mariano pela direita.

O gol não mudou o panorama da partida. O Cruzeiro continuou em cima, martelou o adversário e diminuiu o placar, aos 24 minutos, com Montillo, depois de um belo chute da entrada da área.
A pressão cruzeirense continuou. Mas o Fluminense tocou a bola e garantiu a boa vitória fora de casa sobre um adversário extramente dependente do talento de seu camisa 10.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: