Polêmicas da rodada #31: árbitros na berlinda em impedimentos e pênaltis

Jogos de times na ponta da tabela têm lances cercados de polêmica

Na briga pela ponta, o pelotão da frente na luta pelo título viveu a 31ª rodada do Brasileirão sob forte tensão. Os duelos do fim de semana foram repletos de polêmicas, principalmente em impedimentos marcados e não marcados pela arbitragem, que entra na berlinda também por causa dos pênaltis.

Houve apenas dois marcados, ambos no Engenhão. O de Mariano, do Fluminense, em Bernard, do Atlético-MG, e o de Alex Silva, do Flamengo, em Alan Kardec, do Santos. Ainda no duelo entre rubro-negros e santistas, o árbitro Paulo Henrique Godoy Bezerra deixou o jogo seguir quando Welinton derrubou Neymar dentro da área.

Paulo Godoy Bezerra flamengo x santos (Foto: Agência Estado)

Mas o Flamengo também tem o que chiar: o auxiliar errou ao anular gol de Alex Silva por impedimento inexistente. Não foi o caso em Avaí 3 x 2 Botafogo. O golaço de bicicleta de Cleverson foi em impedimento. A desculpa é que a diferença era mínima para ser percebida a olho nu. O pênalti reclamado por Loco Abreu também gerou dúvidas.

Diferente do caso de Diego Souza, do Vasco. A partida contra o Bahia estava 0 a 0 quando ele marcou um gol em condições para lá de legais, mas a arbitragem cravou impedimento. Inexistente. O Tricolor baiano lamenta um impedimento mal marcado de Júnior, que sairia de cara para o gol. O Inter também reclama de um de Ilsinho em que Paulo André dava condições. Se o jogador seguisse, podia ter saído gol.

Numa rodada em que houve 45 cartões amarelos e cinco vermelhos, o Timão reclama que Nei, que já tinha cartão amarelo, deveria ter sido expulso por botar a mão na bola. Pouco depois, marcaria o gol dos colorados.

Confira abaixo os lances mais polêmicos da 31ª rodada:

Avaí 3 x 2 Botafogo

A emocionante partida do último sábado teve dois lances polêmicos Um deles foi o golaço de Cleverson, de bicicleta, o segundo do Avaí, aos 17 minutos do primeiro tempo. Após ser lançado por Junior Urso, no momento em que o jogador matou no peito para dar a bicicleta, estava em posição irregular, com um pé na frente de Marcelo Mattos, marcador alvinegro.

Outro lance que deu o que falar na partida foi um pênalti que teria sido cometido em Loco Abreu, aos 5 minutos do segundo tempo. Ao fazer o giro na área, o atacante uruguaio se enroscou com Caçapa, seu marcador. Sandro Meira Ricci considerou o lance normal.

Fluminense 0 x 2 Atlético-MG

Aos nove minutos do primeiro tempo, Bernard faz jogada da esquerda para o meio e cai na área após disputa com Mariano, lateral-direito do Fluminense. O juiz Jean Pierre Lima apitou a penalidade máxima, e os tricolores reclamaram. Segundo o ex-árbitro, o lance é incontestável e foi bem marcado. Dois minutos depois, Daniel Carvalhou bateu com precisão e marcou o primeiro gol do Galo.

Bahia 0 x 2 Vasco

A partida em Pituaçu ainda estava 0 a 0 quando Diego Souza recebeu a bola pela direita de Romulo aos 16 minutos e bateu cruzado, sem defesa para o goleiro Marcelo Lomba. O auxiliar Marrubson Melo Freitas errou ao marcar impedimento. O tira-teima mostra que Diego estava 24cm atrás do zagueiro no momento do passe. Confira a análise de José Roberto Wright no vídeo ao lado.

A outra jogada que gerou polêmica no confronto entre Bahia e Vasco foi aos 38 minutos do segundo tempo. Júnior foi lançado por Souza, e novamente o auxiliar Marrubson errou. De início, o ex-árbitro e comentarista da TV Globo José Roberto Wright considerou que o tronco do atacante estaria na frente do homem de defesa do Vasco. Mais tarde, percebeu, pelo tira-teima, que o jogador do Tricolor estava em posição legal, por 38 cm. O lance, portanto, foi difícil.

Flamengo 1 x 1 Santos

Pouco tempo depois de marcar o primeiro gol, de pênalti incontestável em Allan Kardec, Neymar fez jogada pela direita aos 10 minutos do segundo tempo que gerou polêmica. Após driblar Welinton, o atacante foi derrubado dentro da área pelo zagueiro. Mas o árbitro Paulo Henrique Godoy Bezerra achou que dessa vez não houve penalidade, prejudicando o Santos na partida.

A outra jogada que gerou reclamações foi o gol de Alex Silva, aos 16 minutos do segundo tempo. Após cobrança de escanteio, o jogador recebeu de cabeça de Welinton e testou firme, sem defesa para o goleiro. O bandeirinha, no entanto, achou que o zagueiro rubro-negro estava em posição irregular. Havia dois jogadores do Santos dando condições ao zagueiro. Portanto, o gol foi mal anulado, prejudicando o Fla.

Internacional 1 x 1 Corinthians

O Corinthians reclamou muito desse lance após a partida. Aos 21 minutos do segundo tempo, Nei matou com a mão um lançamento pela direita para bater para o gol. O ábitro Evandro Rogério Roman parou a jogada. Só que não deu o cartão amarelo. O detalhe é que o jogador já tinha recebido o primeiro na partida. Portanto, o segundo acarretaria em expulsão. E logo depois ele marcou o gol colorado, daí a queixa corintiana.

Aos 31 minutos do segundo tempo, o lateral-esquerdo Kleber, deslocado no meio-campo, viu Ilsinho livre pela direita e fez o lançamento. O jogador partia livre quando a arbitragem assinalou erradamente o impedimento. Pelo tira-teima da jogada, ficou claro que o zagueiro Paulo André, do Corinthians, dava condição ao colorado. Portanto, a jogada era legal. Ouça o comentário de Renato Marsiglia no vídeo ao lado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: