Polêmicas da rodada #31: árbitros na berlinda em impedimentos e pênaltis

Jogos de times na ponta da tabela têm lances cercados de polêmica

Na briga pela ponta, o pelotão da frente na luta pelo título viveu a 31ª rodada do Brasileirão sob forte tensão. Os duelos do fim de semana foram repletos de polêmicas, principalmente em impedimentos marcados e não marcados pela arbitragem, que entra na berlinda também por causa dos pênaltis.

Houve apenas dois marcados, ambos no Engenhão. O de Mariano, do Fluminense, em Bernard, do Atlético-MG, e o de Alex Silva, do Flamengo, em Alan Kardec, do Santos. Ainda no duelo entre rubro-negros e santistas, o árbitro Paulo Henrique Godoy Bezerra deixou o jogo seguir quando Welinton derrubou Neymar dentro da área.

Paulo Godoy Bezerra flamengo x santos (Foto: Agência Estado)

Mas o Flamengo também tem o que chiar: o auxiliar errou ao anular gol de Alex Silva por impedimento inexistente. Não foi o caso em Avaí 3 x 2 Botafogo. O golaço de bicicleta de Cleverson foi em impedimento. A desculpa é que a diferença era mínima para ser percebida a olho nu. O pênalti reclamado por Loco Abreu também gerou dúvidas.

Diferente do caso de Diego Souza, do Vasco. A partida contra o Bahia estava 0 a 0 quando ele marcou um gol em condições para lá de legais, mas a arbitragem cravou impedimento. Inexistente. O Tricolor baiano lamenta um impedimento mal marcado de Júnior, que sairia de cara para o gol. O Inter também reclama de um de Ilsinho em que Paulo André dava condições. Se o jogador seguisse, podia ter saído gol.

Numa rodada em que houve 45 cartões amarelos e cinco vermelhos, o Timão reclama que Nei, que já tinha cartão amarelo, deveria ter sido expulso por botar a mão na bola. Pouco depois, marcaria o gol dos colorados.

Confira abaixo os lances mais polêmicos da 31ª rodada:

Avaí 3 x 2 Botafogo

A emocionante partida do último sábado teve dois lances polêmicos Um deles foi o golaço de Cleverson, de bicicleta, o segundo do Avaí, aos 17 minutos do primeiro tempo. Após ser lançado por Junior Urso, no momento em que o jogador matou no peito para dar a bicicleta, estava em posição irregular, com um pé na frente de Marcelo Mattos, marcador alvinegro.

Outro lance que deu o que falar na partida foi um pênalti que teria sido cometido em Loco Abreu, aos 5 minutos do segundo tempo. Ao fazer o giro na área, o atacante uruguaio se enroscou com Caçapa, seu marcador. Sandro Meira Ricci considerou o lance normal.

Fluminense 0 x 2 Atlético-MG

Aos nove minutos do primeiro tempo, Bernard faz jogada da esquerda para o meio e cai na área após disputa com Mariano, lateral-direito do Fluminense. O juiz Jean Pierre Lima apitou a penalidade máxima, e os tricolores reclamaram. Segundo o ex-árbitro, o lance é incontestável e foi bem marcado. Dois minutos depois, Daniel Carvalhou bateu com precisão e marcou o primeiro gol do Galo.

Bahia 0 x 2 Vasco

A partida em Pituaçu ainda estava 0 a 0 quando Diego Souza recebeu a bola pela direita de Romulo aos 16 minutos e bateu cruzado, sem defesa para o goleiro Marcelo Lomba. O auxiliar Marrubson Melo Freitas errou ao marcar impedimento. O tira-teima mostra que Diego estava 24cm atrás do zagueiro no momento do passe. Confira a análise de José Roberto Wright no vídeo ao lado.

A outra jogada que gerou polêmica no confronto entre Bahia e Vasco foi aos 38 minutos do segundo tempo. Júnior foi lançado por Souza, e novamente o auxiliar Marrubson errou. De início, o ex-árbitro e comentarista da TV Globo José Roberto Wright considerou que o tronco do atacante estaria na frente do homem de defesa do Vasco. Mais tarde, percebeu, pelo tira-teima, que o jogador do Tricolor estava em posição legal, por 38 cm. O lance, portanto, foi difícil.

Flamengo 1 x 1 Santos

Pouco tempo depois de marcar o primeiro gol, de pênalti incontestável em Allan Kardec, Neymar fez jogada pela direita aos 10 minutos do segundo tempo que gerou polêmica. Após driblar Welinton, o atacante foi derrubado dentro da área pelo zagueiro. Mas o árbitro Paulo Henrique Godoy Bezerra achou que dessa vez não houve penalidade, prejudicando o Santos na partida.

A outra jogada que gerou reclamações foi o gol de Alex Silva, aos 16 minutos do segundo tempo. Após cobrança de escanteio, o jogador recebeu de cabeça de Welinton e testou firme, sem defesa para o goleiro. O bandeirinha, no entanto, achou que o zagueiro rubro-negro estava em posição irregular. Havia dois jogadores do Santos dando condições ao zagueiro. Portanto, o gol foi mal anulado, prejudicando o Fla.

Internacional 1 x 1 Corinthians

O Corinthians reclamou muito desse lance após a partida. Aos 21 minutos do segundo tempo, Nei matou com a mão um lançamento pela direita para bater para o gol. O ábitro Evandro Rogério Roman parou a jogada. Só que não deu o cartão amarelo. O detalhe é que o jogador já tinha recebido o primeiro na partida. Portanto, o segundo acarretaria em expulsão. E logo depois ele marcou o gol colorado, daí a queixa corintiana.

Aos 31 minutos do segundo tempo, o lateral-esquerdo Kleber, deslocado no meio-campo, viu Ilsinho livre pela direita e fez o lançamento. O jogador partia livre quando a arbitragem assinalou erradamente o impedimento. Pelo tira-teima da jogada, ficou claro que o zagueiro Paulo André, do Corinthians, dava condição ao colorado. Portanto, a jogada era legal. Ouça o comentário de Renato Marsiglia no vídeo ao lado.

Anúncios

Confira os resultados de domingo das Séries A, C e D do Brasileirão

Vasco vence na Bahia e reassume a liderança, que estava em poder do Corinthians. Santa Cruz sai na frente na semifinal da Quarta Divisão

Campeonato Brasileiro – Série A (31ª rodada)

São Paulo 0 x 0 Coritiba
Internacional 1 x 1 Corinthians
Atlético-PR 1 x 0 Ceará
Bahia 0 x 2 Vasco
Flamengo 1 x 1 Santos
Cruzeiro 3 x 2 Atlético-GO

Campeonato Brasileiro – Série C (Segunda Fase – 5ª rodada – Grupo F)

Joinville 3 x 2 Chapecoense

Campeonato Brasileiro – Série D (Fase final)

Villa Nova-MG 2 x 1 Anapolina (Oitavas de final – jogo de volta)
Obs: A Anapolina se classificou para as quartas de final.

Santa Cruz 1 x 0 Cuiabá (Semifinal – jogo de ida)

Pontos corridos: análise mostra que artilheiro campeão só houve uma vez

Retrospectiva dos goleadores de cada edição desde 2003 indica que Adriano, no Flamengo, em 2009, foi o único a conquistar título e liderar artilharia

O Brasileirão 2011 segue para sua 31ª rodada e, até o momento, o atacante santista Borges foi quem mais marcou gols no campeonato. Mas como a artilharia de um jogador pode contribuir para o desempenho do time no modelo de pontos corridos? Inspirado por essa questão, o “É Gol!!!” montou um retrospecto dos artilheiros das oito edições realizadas desde 2003, indicando os líderes de tentos até a última etapa atual (30ª), o goleador final e a equipe que sagrou-se campeã.

A análise revela que o título do Flamengo, em 2009, foi a única vez em que o artilheiro do torneio também foi coroado campeão. Neste ano, os atacantes Adriano, do Rubro-Negro, e Diego Tardelli, do Atlético-MG, terminaram empatados, com 19 gols. Por outro lado, em 2007, o Paraná acabou rebaixado para a Série B mesmo contando com a artilharia de Josiel.

Este ano, o atacante Borges, do Santos, segue na liderança da artilharia até a 30ª rodada, tendo balançado as redes 22 vezes, e já é o maior goleador até esta etapa na história do Brasileirão de pontos corridos, superando Dimba, que, no Goiás, chegou a marcar 21 vezes durante o mesmo período. Atrás do camisa 9 do Peixe estão Leandro Damião, do Internacional, Ronaldinho Gaúcho, do Flamengo, Fred, do Fluminense, e William, do Avaí, todos com 13 tentos.

Confira a retrospectiva:

2003 (Cruzeiro)

No primeiro ano do Campeonato Brasileiro no modelo de pontos corridos, o atacante Dimba, do Goiás, era o artilheiro, com 21 gols, até a 30ª rodada, e seguiu na liderança até terminar em primeiro, com 31 gols, na frente de Reinaldo, do Paraná, na vice-liderança, com 30. O Esmeraldino ficou em 9º na tabela.

2004 (Santos)

Novamente o Goiás manteve a ponta até a 30ª rodada do Brasileirão. O atacante Alex Dias, do Esmeraldino, havia marcado 20 vezes até então, mas acabou estacionando em segundo na artilharia, com 22 gols, dando passagem a Washington, do Atlético-PR, artilheiro final com o recorde histórico de 34 tentos. O Furacão ficou em 2º na tabela.

2005 (Corinthians)

Alex Dias, dessa vez no Vasco, liderou o ranking com 19 gols até a 30ª rodada do Brasileiro. Mas o companheiro de time, Romário, o ultrapassou e tornou-se o artilheiro mais velho da história do campeonato, aos 39 anos, com 22 gols. O Time da Colina ficou em 12º na tabela.

2006 (São Paulo)

O atacante Souza, do Goiás, era o artilheiro até a 30ª rodada, com 15 tentos. Schwenck, do Figueirense, vinha logo atrás, com 11. A artilharia final manteve o mesmo resultado, com o esmeraldino em primeiro, com 17 gols, e o alvinegro em segundo, com 14. O Goiás ficou em 8º na tabela.

2007 (São Paulo)

A artilharia de Josiel não conseguiu impedir o rebaixamento do Paraná para a Série B, de onde o time nunca mais retornou. O atacante havia balançado a rede 18 vezes até a 30ª rodada, atrás apenas de Acosta, do Náutico, que contava 19 gols. Na reta final, o paranaense chegou a 20 tentos, ultrapassando o adversário, que terminou em segundo, com os mesmos 19. O clube do Sul ficou em 19º na tabela, rebaixado para a Segunda Divisão.

2008 (São Paulo)

O atacante Kléber Pereira, do Santos, possuía 20 gols até a 30ª rodada do Brasileirão. Washington, do Fluminense, vinha em segundo, com 18, e Keirrison, do Coritiba, em terceiro, com 16. A artilharia final teve os três empatados, com 21 tentos. O Coxa ficou em 8º na tabela, à frente do Tricolor carioca, 14º, e do Peixe, 15º.

2009 (Flamengo)

Pela primeira vez o artiheiro do Brasileirão foi coroado também com o título. Até a 30ª rodada, os atacantes Adriano, campeão com o Flamengo, e Diego Tardelli, do Atlético-MG, seguiam empatados com 16 gols. Ambos finalizaram o campeonato na liderança da artilharia, com 19.

2010 (Fluminense)

O atacante Jonas, do Grêmio, foi líder isolado da artilharia até a 30ª rodada do Brasileirão, com 20 gols, seguido de Bruno César, do Corinthians, com 12. O jogador tricolor manteve-se na ponta até o final, com 23 tentos, vendo Neymar, do Santos, alcançar o segundo lugar, com 17, ultrapassando o corintiano. O Tricolor Gaúcho ficou em 4º na tabela.

Fifa se antecipa e ‘retira’ ministro do Esporte da coordenação do Mundial

Secretário-geral viaja ao Brasil em novembro para ver ‘novo representante do governo’. Blatter cobra aprovação da Lei da Copa ‘de uma vez por todas’

Apesar de a Casa Civil ter anunciado oficialmente que o ministro do Esporte, Orlando Silva, continua sendo o interlocutor do governo junto à Fifa para a Copa do Mundo de 2014, o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, já “retirou” o político da função. O dirigente disse que estará no Brasil em novembro para se reunir com o “novo representante do governo” para a Copa.

– Vou ter um encontro com a nova pessoa indicada pela presidente para conduzir a Copa em nível de governo. Tenho confiança de que a presidente encontrará a pessoa certa, independentemente do que acontecer com o ministro Orlando Silva – afirmou Valcke, em virtude das denúncias contra o ministro, cujas respostas têm tomado seu tempo e arranhado sua imagem.

O secretário-geral e o presidente da Fifa, Joseph Blatter, disseram que vão ao Brasil para pressionar governo e parlamentares pela aprovação da Lei Geral da Copa. O mandatário foi enfático ao cobrar uma solução definitiva.

Jerome Valcke durante coletiva da FIFA (Foto: Reuters)

– O caso do ministro é uma questão do governo brasileiro. Meu encontro com a presidente Dilma Rousseff será para finalizar de uma vez por todas o compromisso feito com a Fifa pelo governo anterior – apontou Blatter,

Jérôme Valcke disse ainda que estará no Congresso Nacional para agilizar a aprovação da Lei.

– Vou estar com parlamentares, pois foi decidido que a lei teria que passar também pelo Congresso. Não temos tempo a perder e precisamos deixar isso claro.

Flu vai arcar com R$ 13 milhões em acordos trabalhistas

O Fluminense vai pagar este ano R$ 13 milhões em acordos trabalhistas. A maioria era de acordos assumidos na gestão anterior e que, se não cumpridos, poderiam gerar penhoras ao clube. Agora, o Flu aguarda a resposta do TRT-RJ para retornar ao Ato Trabalhista e desafogar este fluxo no seu caixa para o ano que vem.

Flu fecha treino para imprensa pela primeira vez no Brasileirão 2011

Atividade ainda foi transferida das Laranjeiras para o campo da Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), na Urca

Pela primeira vez neste Campeonato Brasileiro, o técnico Abel Braga vai fechar o treino do Fluminense por completo para a imprensa na tarde desta quarta-feira. Em comunicado oficial do clube, os jornalistas foram informados que poderão apenas acompanhar a coletiva de imprensa dos jogadores, nas Laranjeiras, a partir de 18h. A atividade ainda foi transferida da sede tricolor para a escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), na Urca.

A falta de privacidade nas Laranjeiras é tema recorrente nas entrevistas de Abelão. O treinador já disse diversas vezes que não tem como fechar os treinamentosna sede social do clube. Até por isso, a diretoria tricolor já vinha negociando com a EsEFEx há alguns meses. Até agora, a única vez que o técnico tinha fechado parte de uma atividade havia sido na véspera da partida contra o Santos, em Volta Redonda, quando os jornalistas não puderam acompanhar os 30 minutos iniciais do treinamento.

A decisão é tomada um dia depois de Abelão ser punido pelo STJD com quatro jogos de suspensão, e Rafael Moura com dois, pelas confusões do último Fla-Flu.

Histórico de arrancadas nas retas finais inspiram cariocas

Nos pontos corridos, quatro grandes do Rio costumam crescer nas rodadas finais do Brasileirão

Os quatro grandes clubes do Rio chegam às oito rodadas finais do Brasileiro com retrospecto favorável: desde o início dos pontos corridos, em 2003, costumam crescer a partir do 30º jogo, melhorando seus desempenhos. As arrancadas já proporcionaram momentos marcantes, como o título do Flamengo e o “milagre” do Fluminense contra o rebaixamento, ambos em 2009.

O Tricolor, inclusive, é o que mais se destaca nas rodadas finais. Em oito anos, viu seu aproveitamento cair apenas em 2004 e 2005. As arrancadas renderam dois momentos históricos. Em 2009, chegou a ter 1% de chance de escapar da degola, mas venceu seis dos oito jogos finais e garantiu a permanência. No ano seguinte, levou o caneco ganhando cinco partidas e empatando
três, a partir da 30arodada.

O Flamengo viveu situações semelhantes. A maior arrancada ocorreu em 2007, quando venceu seis jogos e perdeu dois, assegurando vaga na Libertadores. A mais importante, porém, foi em 2009, quando tirou a diferença necessária para ser hexacampeão brasileiro.

O ano de 2009 também foi marcante para o Botafogo, que vivia situação complicada a oito rodadas para o fim: era o 17º colocado e estava um ponto acima da zona de degola. O desempenho cresceu nos momentos decisivos – incluindo vitórias sobre São Paulo e Palmeiras, postulantes ao título nacional.

A vez de arrancar pode ser do Vasco, fato ainda não experimentado nos pontos corridos. O melhor desempenho na reta final aconteceu em 2007, quando o crescimento evitou que o clube corresse riscos de ser rebaixado.

Tristão Garcia
MATEMÁTICO, EM ENTREVISTA

O Rio é favorito para conquistar o Brasileiro

Rio é favorito à conquista do título brasileiro deste ano. Hoje, a possibilidade de o campeão ser carioca é de 65%. Basta somar as chances de cada clube. O principal rival na briga é o Corinthians, que tem 33%. São Paulo e Internacional ainda possuem 1% cada.

A situação na Copa Libertadores também é boa para os clubes cariocas. O Vasco já está garantido por ter conquistado a Copa do Brasil. A chance de ir mais um, além dele, é de 99%. De irem dois também é grande: 72%. E até os três podem conseguir a classificação, apesar de ser mais complicado. A possibilidade é de 6%.

CARIOCAS COSTUMAM TER APROVEITAMENTO MAIOR NAS ÚLTIMAS RODADAS

%d blogueiros gostam disto: