‘Iluminado’, Marquinho confia na superação tricolor no segundo turno

Autor do gol da vitória sobre o Cruzeiro, apoiador ressalta a qualidade do elenco do Fluminense após terceira vitória seguida no Campeonato Brasileiro

Dos pés de Marquinho saiu o gol que garantiu a tão esperada terceira vitória seguida do Fluminense no Campeonato Brasileiro, na partida diante do Cruzeiro, em Uberlândia. Em quase três anos nas Laranjeiras, o apoiador marcou apenas 16 vezes. Mas se acostumou a balançar as redes em momentos importantes, como no empate em 1 a 1 com o Coritiba que evitou o rebaixamento da equipe em 2009. No atual Brasileirão, o camisa 7 já garantiu os triunfos sobre Palmeiras (1 a 0) e Cruzeiro (2 a 1).

– Acho que sou iluminado por fazer esses gols importantes. Espero sempre poder ajudar esse grupo maravilhoso. Domingo teremos outro desafio difícil, agora diante do Corinthians. Temos de vencer para diminuir a vantagem deles – analisou o jogador.

O bom início de segundo turno – com três vitórias em três jogos – aumentou a confiança tricolor. A sequência positiva levou o Fluminense aos 34 pontos e à sexta posição do Campeonato Brasileiro. Confiante, Marquinho garantiu que sempre acreditou na superação da equipe na reta final da competição.

– Nunca deixamos de acreditar. Temos um elenco qualificado e, enquanto tivermos chances, vamos lutar. No Fluminense é sempre assim, na base da superação. Já nos acostumamos a levantar nos momentos de dificuldade. Tivemos um primeiro tempo ruim, mas o começo do segundo está sendo excelente. Tomara que no fim do ano possamos ser coroados com alguma coisa legal – resumiu o apoiador.

Em busca da quarta vitória seguida, o Fluminense volta a campo no próximo domingo, para enfrentar o Corinthians, às 16h (de Brasília), no Engenhão, pela 23ª rodada do Brasileiro.

Anúncios

Flu bate o Cruzeiro, tem terceira vitória seguida e sobe para sexto

Montillo marca seu 12º gol no Brasileiro, mas Tricolor carioca domina as ações em Uberlândia e se aproxima do G-5

Venceu o time que mostrou o melhor futebol. O Fluminense não se importou de jogar diante da torcida adversária e se aproveitou de um momento técnico muito ruim de quase todo o time do Cruzeiro. Fez 2 a 1 e subiu mais um degrau na tabela de classificação, aproximando-se da zona de classificação para a Libertadores. Fred, que mais uma vez não comemorou diante de sua ex-equipe, e Marquinho abriram 2 a 0 no Parque do Sabiá. Montillo, sempre ele, fez um bonito gol para os donos da casa, que não tiveram força para buscar o empate. Foi o 12º gol do argentino, atrás apenas de Borges (que tem 15) na artilharia da competição.

O Fluminense, que há três rodadas ocupava o 11º lugar, está em sexto, com 34 pontos. Tem dois a menos do que o Flamengo, que enfrenta o Corinthians nesta quinta-feira e fecha a zona de classificação para a Libertadores. Já o Cruzeiro, que há três rodadas estava na sétima posição, agora ocupa o 12º lugar, com 28 pontos.

Na próxima rodada, os mineiros enfrentam o Santos na Vila Belmiro, às 18h de sábado. Já os cariocas recebem o Corinthians no Engenhão, no dia seguinte, às 16h.

Só o Fluminense em campo

Cruzeiro e Fluminense começaram cautelosos no jogo, que ficou lento e desinteressante nos minutos iniciais devido à falta de iniciativa de ambos. O Tricolor, no entanto, era melhor e marcava mais presença no ataque, principalmente porque a equipe celeste dependia extremamente do argentino Montillo. Bem marcado, o gringo pouco produziu.

O domínio do Fluminense, entretanto, não se traduziu em jogadas agudas e, muito menos, em oportunidades claras de gol, o que permitiu ao Cruzeiro equilibrar as ações durante alguns minutos. Porém, com muitos erros de passes, os atacantes cruzeirenses eram presas fáceis para o sistema defensivo do Flu.

O Tricolor, então, foi premiado, justamente por apresentar maior iniciativa no jogo. Aos 34 minutos, Fred cobrou pênalti que ele mesmo sofrera – em falta de Léo – e abriu o placar no Parque do Sabiá. Até então, o time ainda não havia cometido uma falta sequer – o Cruzeiro tinha apenas cinco.

Na Raposa, a dependência de Montillo continuava. Com dois atacantes de área e pouca mobilidade, a concentração das jogadas pelo meio levava pouco perigo ao gol de Diego Cavalieri, espectador privilegiado do primeiro tempo, vencido com justiça pelo Tricolor.

Mudança de atitude

O Cruzeiro voltou mudado, com Roger e Élber nos lugares de Gabriel Araújo e Anselmo Ramon. Porém, mais importante que a alteração nos nomes foi a mudança de atitude. O time mineiro apresentou outra postura, mesmo que ainda faltasse qualidade no toque de bola e nas finalizações.

O Fluminense recuou perigosamente, e o Cruzeiro cresceu e criou boas chances, com Keirrison e Roger. Mas, no primeiro ataque que realizou, aos 17 minutos, o Tricolor ampliou o placar, com Marquinho, aproveitando boa jogada de Mariano pela direita.

O gol não mudou o panorama da partida. O Cruzeiro continuou em cima, martelou o adversário e diminuiu o placar, aos 24 minutos, com Montillo, depois de um belo chute da entrada da área.
A pressão cruzeirense continuou. Mas o Fluminense tocou a bola e garantiu a boa vitória fora de casa sobre um adversário extramente dependente do talento de seu camisa 10.

Com três gols em oito minutos, Flu vira a partida e doma o Dragão

Tricolor, que perdia o jogo por 2 a 0 até os 37 minutos do segundo tempo, consegue a vitória com dois gols de Rafael Sobis e um de Rafael Moura

O Fluminense conseguiu domar o Dragão de Hélio dos Anjos. Com uma virada espetacular, marcando três gols a partir dos 37 minutos do segundo tempo, o Tricolor derrotou o Atlético-GO por 3 a 2, na noite deste sábado, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. E interrompeu a sequência de cinco triunfos seguidos do adversário no Campeonato Brasileiro.

Rafael Sobis, que entrou no lugar de Ciro na segunda etapa, fez dois gols e igualou o placar. E Rafael Moura, que havia perdido um pênalti quando o jogo estava 1 a 0, decretou a virada aos 45 minutos, em posição de impedimento. Os gols dos visitantes foram em lances de bola parada: Bida, em cobrança de falta, e o goleiro Márcio, de pênalti.

A irregularidade no lance final pouco importou para os torcedores tricolores, que vaiaram muito o meia Souza e o técnico Abel Braga antes da reação, incentivaram com entusiasmo enquanto os gols foram saindo e comemoraram muito após o último apito. Porém, o Flu mostrou irregularidade durante boa parte do jogo, e os goianos, que tinham a partida dominada, deixaram escapar a vitória em lances de desatenção.

O resultado fez o Fluminense subir uma posição neste sábado, passando para a sétima posição, com 31 pontos. O Atlético-GO segue com 28, em nono, mas pode cair na tabela com o complemento da rodada neste domingo. Na próxima quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), as duas equipes voltam a entrar entrar em campo pela 22ª rodada. Os cariocas visitam o Cruzeiro no Parque do Sabiá, enquanto os goianos recebem o Figueirense no Serra Dourada.

Homenagens do Flu, boa pontaria do Dragão

O Fluminense entrou em campo fazendo homenagens a dois zagueiros que fizeram história no clube. Enquanto o técnico Abel usava uma camisa com a inscrição “Pinheiro 722 jogos”, em homenagem ao jogador falecido na última terça, aos 79 anos, vítima de câncer de próstata, os jogadores vestiam camisetas brancas dando força para Ricardo Gomes, técnico do Vasco, que se recupera de um AVC sofrido no domingo passado.

O time goiano mostrou logo de cara os motivos que o tiraram da zona de rebaixamento e o fizeram vencer cinco partidas em sequência. Pouco antes de abrir o placar, Anselmo já tinha ameaçado o goleiro Diego Cavalieri com uma cabeçada por cima do travessão. Mas aos dez, em cobrança de falta do lado esquerdo do ataque, Bida acertou o ângulo direito, surpreendendo o arqueiro tricolor e balançando a rede pela primeira vez em Volta Redonda.

O gol do Dragão acordou a equipe do Fluminense, que entrou em campo com uma mudança importante em relação ao time que venceu o São Paulo no Morumbi na última quarta: Souza no lugar de Fernando Bob, uma aposta mais ofensiva de Abel. E foi ele quem sofreu com a impaciência da torcida durante toda a etapa inicial, que terminaria com gritos de “Tira o Souza”.

rafael moura fluminense gol atlético-GO (Foto: Dhavid Normando / Photocamera)

Logo após o susto, o time carioca quase empatou em três oportunidades seguidas, uma com Ciro cabeceando errado para fora e duas com Rafael Moura, ambas defendidas pelo goleiro Márcio. Aos 31, o ex-atacante do Sport quase empatou de bicicleta ao receber boa bola na área, mas de novo o arqueiro rubro-negro defendeu bem. O Dragão respondeu em seguida, em contra-ataque, com Vítor Júnior recebendo livre, de primeira, e acertando o travessão.

Pênalti lá, pênalti cá

Abel atendeu aos pedidos dos torcedores e substituiu Souza pelo argentino Martinuccio, no intervalo, e ainda trocou Ciro por Rafael Sobis aos dez do segundo tempo. O Fluminense ganhou em velocidade, mas continuou errando muito. E o time goiano continuou oferecendo perigo nas suas jogadas de ataque, principalmente com Vítor Júnior. Até que, aos 12, em escanteio tricolor, Gum cabeceou, e a bola bateu na mão esquerda do zagueiro Gilson, que subiu com os braços abertos. O árbitro Célio Amorim apitou pênalti. Rafael Moura, que já desperdiçara uma cobrança na derrota por 3 a 0 para o América-MG, isolou, por cima do travessão.

Se os donos da casa perderam a sua oportunidade, o mesmo não aconteceu com os visitantes. Três minutos depois, em mais uma investida de Vítor Júnior pela esquerda, o camisa 10 do Dragão sofreu uma entrada de Diogo dentro da área. Mais uma penalidade máxima. O goleiro Márcio, especialista nas cobranças, bateu forte no meio do gol, aumentando o placar no Raulino Oliveira.

Rafaéis comandam a virada

Se a impaciência dos tricolores já era grande com um ou outro jogador, passou a ter no técnico Abel o alvo principal: o treinador foi chamado de “burro” por parte da arquibancada. Mas o Fluminense insistiu e lutou até o fim. E num espaço de oito minutos resolveu o jogo. Aos 37, Sobis trocou passes com o xará Rafael Moura e, da entrada da área, soltou uma bomba de canhota no canto esquerdo de Márcio, que foi traído pelo golpe de vista e apenas viu a bola entrar.

O torcedor imediatamente teve que trocar as vaias pelos gritos de incentivo, já que o Tricolor passou a pressionar bastante. Logo depois do gol, Sobis e Gum já assustaram a defesa goiana e quase marcaram. Aos 41, o goleiro Márcio fez boa defesa em chute de Rafael Moura, mas não conseguiu segurar a bola. Sobis estava lá para pegar o rebote e mandar para a rede, empatando o jogo no Raulino.

A virada espetacular com tons dramáticos surgiu aos 45 minutos, antes mesmo dos acréscimos, desta vez com Rafael Moura. Em cobrança de falta de Marquinhos na área, o centroavante se redimiu do pênalti perdido e das vaias que vinha recebendo. Subiu mais alto que toda a zaga atleticana e – impedido mas mostrando muito faro de gol – decretou a virada, para delírio dos tricolores.

Satisfeito, Peter elogia aniversariante Abel Braga: ‘Parabéns duplo para ele’

Presidente do Fluminense rasga elogios à exibição do time na vitória sobre o São Paulo: ‘Deu para ver um Fluminense jogando como Fluminense’

A vitória sobre o São Paulo afastou, mesmo que momentaneamente, o foco de crise no Fluminense e levou um pouco de paz às Laranjeiras. A boa exibição no Morumbi rendeu elogios do presidente do clube, Peter Siemsen, à equipe e ao técnico Abel Braga, que completa 59 anos nesta quinta-feira.

– Fiquei muito feliz. Deu para ver um Fluminense jogando como Fluminense, controlando o jogo, mostrando jogadores de qualidade que assumiram a responsabilidade. Nosso Abel está de parabéns. É aniversário dele, então um duplo parabéns para ele – disse o dirigente, à Rádio Brasil.

Peter Siemsen, inclusive, reiterou a confiança que tem em Abelão e rechaçou qualquer possibilidade de troca no comando técnico tricolor.

– Da minha parte, estou muito satisfeito com o Abel, sempre confiei muito no trabalho dele. Nunca houve a ideia de trocar o técnico. O Abel está no caminho certo, está testando o time, encontrando o caminho dele, e não será uma série de derrotas que vai criar alguma desconfiança no trabalho dele. Ele chegou pressionado, com a imagem muito ligada ao clube, e o Fluminense tem orgulho de ter o Abel como técnico.

Apesar de se dizer satisfeito com o trabalho de Abel Braga, Peter Siemsen reconheceu que o rendimento do Fluminense no primeiro turno do Campeonato Brasileiro deixou a desejar, principalmente por ter começado a competição com um técnico interino (Enderson Moreira). Entretanto, o dirigente frisou, esperançosamente, que o triunfo sobre o São Paulo dará um novo rumo ao Tricolor na competição.

– No Brasileiro, temos que entender que começamos com técnico interino, jogando de uma maneira. O Abel chegou com o campeonato em andamento, precisando de adaptação. Tivemos muitos jogos quarta e domingo, e isso não permite que o técnico implante seu estilo de jogo. Fora alguma coisa externa que volte e meia aparece. Internamente, o clube está funcionando muito bem. Mas teve aquela situação torcida-Fred e isso mexe com todo mundo. A minha grande alegria é que começamos o campeonato com uma derrota para o São Paulo, e agora iniciamos o segundo turno com uma vitória. São novos rumos.

Na oitava colocação no Campeonato Brasileiro, o Fluminense recebe o Atlético-GO, no sábado, às 18h. A partida será realizado no Raulino Oliveira, em Volta Redonda.

Edinho se encanta com desempenho de Lanzini : ‘Teve atuação brilhante’

Volante evita comparações entre jovem argentino e Conca, mas garante que destaque da vitória contra o Figueirense já está adaptado ao elenco

Bastou uma partida para Manuel Lanzini chamar a atenção da torcida e do elenco tricolor. Após atuação destacada na vitória por 3 a 0 sobre o Figueirense, quarta-feira, no Engenhão, pela 17ª rodada do Brasileirão, o meia argentino esteve no centro das atenções na quinta-feira e recebeu elogios públicos de Edinho.

Surpreso com o desempenho do companheiro logo em sua estreia, o volante falou sobre o relacionamento com o gringo recém-chegado e foi contra comparações entre a nova promessa e o já ídolo Darío Conca.

– Lanzini teve uma atuação brilhante e estava há muito tempo sem jogar. Acredito que ele está em casa. Ele está à vontade. Tomara que possa ser feliz como foi o Conca. Sem comparações.

Com estilo abusado em campo e dono também da camisa 11, Lanzini em nada se assemelha a Conca fora de campo. Segundo Edinho, o jovem de 18 anos é mais tímido e ainda tem dificuldade de comunicação.

– Lanzini é mais tranquilo. A rapaziada está enrolando no portunhol, no gesto. O Sobis, que conhece o idioma, é quem tem falado mais.

Perguntado se o “hermano” deve permanecer na equipe para o clássico com o Vasco, o volante passou o bastão para Abel Braga, mas lembrou que o Flu subiu de produção com a entrada de Lanzini.

– Não posso falar sobre isso. É uma decisão do Abel. Com esse esquema, a equipe se saiu bem. Não sei como vai ficar. Está nas mãos do treinador.

Com 24 pontos e um jogo a menos que a maioria dos rivais, o Fluminense é o oitavo colocado no Brasileirão e encara o Vasco, domingo, às 18h (de Brasília), no Engenhão, pela 18ª rodada.

Armandão: Rafael Moura usa a força de He-Man para ser craque da rodada

Atacante fez dois gols na vitória do Fluminense sobre o Figueirense e deu novo fôlego ao Tricolor carioca. Emerson ajuda o Timão a manter liderança

Rafael Moura tem a força para tirar o Fluminense da crise que já estava praticamente instalada nas Laranejiras. Com o apelido de He-Man, o atacante tricolor mostrou mais uma vez seus poderes, desta vez na vitória por 3 a 0 sobre o Figueirense, e foi eleito o craque da 17ª rodada com base nas notas do Troféu Armando Nogueira. Por conta dos dois gols que converteu e a assistência que deu para o Edinho marcar, o camisa 10 do Flu liquidou a defesa catarinense. A atuação de gala rendeu a nota 8,5 para o jogador, que vem dando conta do recado toda vez que o badalado Fred é ausência no time dirigido pelo técnico Abel Braga.

Com belas exibições de vários clubes, a seleção da rodada é representada por jogadores de oito agremiações diferentes. Coritiba, Vasco e Atlético-GO têm dois atletas cada no time deste meio de semana. Curiosamente, os três tiveram vitórias expressivas fora de casa, sendo mais impressionante a do Dragão, que goleou e tirou a invencibilidade do Flamengo no Engenhão.

Vale lembrar que a seleção do campeonato é montada após a apuração das médias de todos os jogadores que disputaram ao menos 13 partidas no Brasileirão.


GOLEIRO

Um dos alicerces da excelente temporada do Coritiba, o goleiro Edson Bastos se utilizou da sua experiência para ser decisivo na difícil vitória do Coxa sobre o Santos por 3 a 2, na Vila Belmiro. Além de boas intervenções durante a partida, ele pulou como um gato quando o confronto estava empatado por 2 a 2 para catar o pênalti cobrado por Borges, artilheiro do Campeonato Brasileiro com dez gols. Por conta desta defesa em momento crucial, o camisa 1 alviverde foi apontado como o melhor de sua posição na rodada e recebeu a nota 8. Marcelo Lomba (BAH), Fernando Prass (VAS) e Diego Cavalieri (FLU) também se destacaram.

LATERAL-DIREITO

Depois de conviver com algumas lesões no primeiro semestre, Fagner parece ter voltado ao seu melhor futebol com a camisa do Vasco. Na quarta-feira, o lateral-direito foi uma fundamental arma ofensiva da equipe de Ricardo Gomes na boa vitória por 2 a 0 sobre o Avaí. Foi de seus pés que surgiu o primeiro gol cruz-maltino. O lindo passe deixou Diego Souza à vontade para marcar. Por tudo isso, Fagner faturou a nota 7. Wagner Diniz (Atlético-PR) e Nei (Internacional) foram importantes nos triunfos de seus clubes.

ZAGUEIROS

Dedé está definitivamente na moda. O zagueirão do Vasco é sinônimo de regularidade e impõe respeito aos adversários. Com mais uma atuação soberana na zaga, o mais novo defensor da Seleção Brasileira ainda encontrou tempo para ajudar o ataque e anotar o seu sétimo gol na temporada nos 2 a 0 diante do Avaí. O ídolo vascaíno recebeu a nota 7,5. Quem conquistou a mesma avaliação foi Anderson. O zagueiro do Atlético-GO figura na seleção da rodada pela segunda vez na competição por ter brecado a maioria das ações ofensivas do ataque do até então invicto Flamengo. Nem mesmo Deivid, um dos goleadores do Brasileirão, conseguiu ver a cor da bola. Rodrigo Moledo (INT), Anderson Martins (VAS) e Gilson (ATG) também cumpriram bem seus papéis de xerifes.

LATERAL-ESQUERDO

Mais nova revelação da base do Internacional, o garoto Zé Mário tem demonstrado que chegou ao time profissional para ficar. Aos 19 anos e volante de origem, ele assumiu a responsabilidade de substituir o experiente Kléber na lateral esquerda e revelou todo o seu potencial. Foi dele o cruzamento que culminou no gol de Leandro Damião após desvio de Jô. A joia colorada ganhou a nota 7. Welder (Corinthians) e Carlinhos (Fluminense), ambos destros, foram outros destaques da posição.

VOLANTES

Marcadores e goleadores. Pelo menos nesta rodada, Léo Gago e Cléber Santana, ambos do futebol paranaense, assumiram dupla função e fizeram os gols que acarretaram nas vitórias dos arquirrivais Coritiba e Atlético-PR, respectivamente. Na teoria, a tarefa do Coxa foi mais árdua. O vice-campeão da Copa do Brasil bateu o Santos de virada em plena Vila Belmiro. Além de marcar Neymar, Ganso & Cia., Léo Gago puxou o contra-ataque e marcou um belíssimo gol com seu potente chute de canhota, ganhando assim a nota 7,5. Com pontuação igual e o mesmo caráter decisivo, Cléber Santana lutou do início ao fim e foi premiado nos acréscimos com o gol que decretou o triunfo do Furacão por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, num belo arremate cruzado. Rômulo (VAS), Eusébio (CEA), Edinho (FLU) e Pituca (ATG) representaram muito bem os seus times na 17ª rodada e ganham menção honrosa.

MEIAS

Camisa 10 de estilo clássico, Thiago Humberto vem comandando com maestria a criação das jogadas do Ceará. Na goleada do Vozão por 3 a 0 sobre o Grêmio, o canhoto foi decisivo nos dois gols do atacante Marcelo Nicácio, sendo com uma assistência e um chute que redundou no rebote do goleiro. A exibição fez valer a subida nota 8. Meio ponto abaixo, mas não menos importante para o sucesso de sua equipe na rodada, Ernandes contou com a sorte para brilhar na humilhante vitória do Atlético-GO sobre o Flamengo (4 a 1). Sua escalação como titular deveu-se à suspensão do volante Agenor. Sendo assim, Bida foi recuado para a função de marcador e liberou Ernandes para armar ao lado de Thiaguinho. E a oportunidade foi agarrada da melhor maneira. Com um passe milimétrico para o gol de Juninho, a surpresa do técnico Hélio dos Anjos tornou-se peça-chave para o Dragão no Engenhão. No segundo tempo, ele voltou a aparecer com destaque num lindo drible por entre as pernas do zagueiro Welinton. Marcinho (CAP) e Lanzini (FLU) foram valiosos para que seus times conquistassem três pontos na última quarta-feira.

ATACANTES

Sem a assiduidade de Fred nas partidas do Fluminense, Rafael Moura tomou para si a responsabilidade de ser o homem decisivo do Tricolor. No convincente triunfo por 3 a 0 sobre o Figueirense, o He-Man agiu como um verdadeiro super-herói ao exercer multifunções. Foi garçom no primeiro gol ao servir Edinho. Guerreiro ao roubar a bola e partiu com ela até o caminho da rede no segundo. E, por fim, letal ao cabecear fora do alcance de Wilson no terceiro tento do Flu. A nota 8,5 transformou o atacante no craque da 17ª rodada. O caso de Emerson também teve a sua dose de heroísmo. O Sheik teve apenas 45 minutos para tirar o Corinthians de uma situação complicada – o Atlético-MG vencia por 2 a 0 – e o fez com extrema categoria. Além de marcar o gol que deu início à reação, ele sofreu dois pênaltis e ainda deu o passe que deixou Liedson livre para virar o placar e manter a liderança do Timão. A grande atuação rendeu a nota 8. Marcelo Nicácio (CEA), Borges (SAN) e Anselmo (ATG) são outros centroavantes que se destacaram no meio de semana.

Confira os resultados desta quarta na Série A do Brasileiro e nos Estaduais

Flamengo vira jogo fenomenal na Vila Belmiro depois de estar perdendo por 3 a 0. São Paulo abre 4 a 0 no Coritiba e quase deixa a vitória escapar no fim

Brasileiro – Série A (12ª rodada)
Atlético-MG 1 x 0 Fluminense
Grêmio 1 x 1 América-MG
Botafogo 2 x 1 Avaí
Atlético-GO 2 x 0 Cruzeiro
Santos 4 x 5 Flamengo
Figueirense 0 x 1 Palmeiras
Coritiba 3 x 4 São Paulo

Amapaense – Segundo Turno (2ª rodada)
Trem-AP 0 x 0 Ypiranga-AP
O Trem-AP lidera a chave A com 4 pontos. A chave B é liderada pelo Mazagão. O primeiro turno foi vencido pelo Santos-AP.

Piauiense – Segundo Turno (2º jogo da semifinal)
4 de Julho 1 x 0 Comercial-PI
4 de Julho e Parnahyba decidem a final do segundo turno. Comercial-PI foi o campeão do primeiro turno e já está classificado para a final do campeonato.

%d blogueiros gostam disto: